Nascida num lar de muita garra, no interior do Ceará, Maria aprendeu desde cedo, que para vencer é necessário não ter medo e batalhar, com persistência e foco em seus sonhos. Filha de uma costureira e de um lavrador, que produziam e vendiam os produtos de seus trabalhos, Maria já tinha uma veia empreendedora, que logo daria seus primeiros sinais.

 

Aos 16 anos, junto a dois de seus seis irmãos, Maria seguiu para o Rio de Janeiro, para dar início a um novo capítulo de sua história. No mesmo ano, começou a trabalhar numa confecção, na área de acabamento. Foi aí que o interesse por costura se tornou cada vez maior. Maria já havia aprendido o básico com sua mãe, mas agora, esse universo se ampliava diante dos seus olhos, na mesma medida do seu interesse. Foi aí também, que Maria teve o primeiro contato com modelagem e pode conhecer as máquinas industriais.

 

Aos 19 anos, sua veia empreendedora falou mais alto. Maria abriu sua primeira confecção. Foram dois anos do início de um sonho que tinha outros rumos. E foi o que aconteceu.

 

Maria fechou a primeira confecção e continuou sua produção em casa, refazendo-se, criando e costurando biquínis e blusas de malha. Os anos se seguiram, sua experiência a tornou mais madura no ramo e aos 27 anos, Maria deu início à sua marca Maria Moda, que se dedicava integralmente ao atacado.

 

“Ter nascido numa família com a mão na tesoura e a outra na agulha, desde sempre quis abrir minha própria loja de roupa”, conta Maria, que inaugurou sua primeira loja em Copacabana. A partir dessa experiência de sucesso, Maria seguiu abrindo novas lojas e uma delas foi responsável por tornar a marca conhecida, a loja do Shopping Vertical, bem como a Feira Hype, que colocaram a Maria Moda no mercado do varejo, ampliando a visibilidade carioca da marca.

 

Está na família a maior inspiração para sua trajetória. “Neta, filha e sobrinha de costureiras, está no meu sangue. Inclusive, minha irmã e meu irmão, que vieram para o Rio de Janeiro comigo, também têm confecção e loja própria. Essa é a minha inspiração”, conta.

 

Maria sempre sonhou em estudar, ter uma formação acadêmica em moda. E como sempre, ela perseguiu esse sonho. Fez diversos cursos técnicos dedicados à moda e aos quarenta e poucos anos, Maria realizou um de seus grandes sonhos, fez Design de Moda na Veiga de Almeida. Sua formação agregou ainda mais conhecimento e valor à Maria Moda e deu um novo e promissor olhar à sua criadora.

 

Hoje, Maria concentra sua atuação em sua confecção. Ela segue a forte tendência do mercado que tem se ampliado no ambiente online e ganha cada vez mais força no e-commerce. Sua loja virtual expandiu a marca e a tornou acessível em todo território nacional.

 

Junto à Juliana, sua filha, que desde pequena respira esse universo da moda, Maria segue ampliando e fortalecendo as estruturas da Maria Moda. “Primeiro contato da Juliana com o mundo da moda foi na Feira Hype. Desde que nasceu, durante uns 10 anos, eu ia trabalhar na feira e ela e o Philipe, meu filho, ajudavam a mim e ao Claudio, meu marido, a montar o stand e eles eram a sensação da feira”, lembra emocionada.  

 

Maria conta ainda, que anos mais tarde, quando Juliana tinha 16 anos, voltaram a participar de eventos. A filha, que não nega o sangue e demonstra forte veia comercial empreendedora, já tomava conta das vendas. “Sempre muito competitiva, era minha melhor vendedora”, ressalta Maria, que conta que a Juliana também era sua principal modelo para peças piloto. Até hoje.

 

Para Maria, ouvir as opiniões da Juliana é imprescindível e a relação de mãe e filha tem se fortalecido cada vez mais, também por conta da Maria Moda, o que se reflete em cada peça, demonstrando a força e a consolidação da marca.

 

“Todos os setores tem a mão da Juliana, o único que fica a cargo somente do meu filho, Philipe, é o financeiro”, conta. Maria tem muito orgulho de ter seus filhos ao seu redor, participando ativamente da vida da Maria Moda, e por poder contar com total apoio do seu marido, Claudio.

 

Maria se orgulha também da fidelização de suas clientes, especialmente por demonstrarem enorme carinho à marca, o que dá vida a essa conquista e a faz desejar sempre entregar suas peças com amor. “Estabelecer um relacionamento com o cliente é algo difícil de se conquistar. Eu posso dizer, com todas as letras, que a Maria Moda conseguiu. Temos muitas clientes fiéis à nossa marca, que consomem e ajudam a disseminar, cada vez mais, a Maria Moda. Isso é algo de que podemos nos orgulhar”.

 

Agora, o desejo de mãe e filha, é seguir essa história de sucesso e alcançar novos patamares. Ampliar cada vez mais a marca e a levar para muito mais clientes. “A Maria Moda está pronta para novos desafios e nós duas, com muita, muita vontade de fazer acontecer”, finaliza.